sábado, 22 de junho de 2013

O Analfabeto Político

Francisco Pantera - O Analfabeto Político

Não é preciso ser PHD
Doutor, professor, astronauta, ou juiz de distrito
Mas, “o pior de todos os analfabetos
É o analfabeto político”
Ele é um desgraçado
Na História está escrito.

“Ele não ouve, não fala
Nem participa dos acontecimentos políticos”
É um idiota...
Carregado por seus cambitos
Não sabe que é responsável
E é um agente do mundo dos malditos.

O analfabeto político
Da humanidade é um bregueço
É uma ilha perdida
No meio do universo
Por causa da sua omissão
Do mundo civilizatório o canalha é o inverso.

Confunde política com politicalha
Para ele todo político é igual
Sua mente é moldada
Pra ser um alienado do espaço sideral
Não entende o energúmeno
Que a política deve ser encarada como uma ciência social.

“Ele não sabe o custo de vida,
O preço da carne, do arroz, do feijão”
Quando se fala em política
Ele faz a maior confusão
Se o país está bem ou está ruim
Deveria saber que teve a política no centro da decisão.

Não é preciso ser partidário, candidato ou exercer mandato.
O indivíduo tem que exercer o seu papel de cidadão
Vivemos numa sociedade contraditória
Tem pilantra em toda e qualquer profissão
Assim é a sociedade capitalista
Quando não participamos da vida política, a política serve ao ladrão.

Quando decidimos fazer qualquer coisa
Nós tomamos uma decisão
Tomamos uma opção política
Queiramos ou não
A política está na família, no estado, no amor, na arte, na religião...
Ela está presente em toda e qualquer instituição.

Não interessa o que você seja
Você é um agente político em ação
Você faz parte da história
Você pode junto com outros homens fazer revolução
O que move a humanidade
É a sede por transformação.

Ele é um animal irracional
“O analfabeto político é tão burro que se orgulha
E estufa o peito dizendo que odeia política”
Não sabe o quadrúpede que da história ele é um pulha
Um animal que vegeta
Que a humanidade entulha.

Não sabe que as guerras do nosso tempo
São provocadas por forças colossais
Que a ganância imperialista
Provoca desgraças sociais
Que o capitalismo selvagem
É o responsável pelos grandes desastres ambientais.

“O homem é um animal político”
Afirmava Aristóteles em sua filosofia
É impossível viver sem a política
Em nosso dia a dia
“O homem é um ser social por natureza”
Na busca por um ideal pleno de democracia.

“Não sabe o imbecil, que da sua ignorância política, nasce à prostituta.
O menor abandonado e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista.
Pilantra, corrupto e lacaio.
Das empresas nacionais e multinacionais” do lucro oportunista
Aqui termino este simples cordel.

Homenageando Bertolt Brecht, o genial dramaturgo socialista.

Nenhum comentário: